Como foi o CodeShow

Mais de uma semana se passou e só agora estou escrevendo sobre o CodeShow. Shame on me… Bom, o fato é que o CodeShow foi bom. Um pouco menos do que eu esperava, mas ainda assim foi bom. Talvez seja por isso que eu só estou escrevendo sobre isso agora.

Primeiramente, é muito engraçado quando se está num lugar rodeado de pessoas que você lê, mas não conhece. É como se você conhecesse todo mundo, mas ao mesmo tempo não conhecesse ninguém. Os que consegui reconhecer foram apenas a Simone Villas Boas, do Pixeladas Aleatórias (que se sentou ao meu lado e foi com quem eu passei a maior parte do tempo, junto com o Rafael Apocalypse) e o Tarcísio Sassara, que também se sentou ao meu lado, mas só fui me dar conta de quem era mais tarde.

Mas vamos falar sobre o evento em si…

A aplicação

A idéia era construir uma aplicação de catalogação de livros. Funciona basicamente assim: se você possui algum livro, procura por ele no sistema e adiciona-o no seu perfil; se o livro ainda não existe no sistema, você cadastra-o entrando com as informações Nome do Livro, Imagem da capa, Autor e ISBN. Há ainda a possibilidade de comentar livros alheios.
É uma espécie de del.icio.us de livros.

Pontos negativos

Pra começar, a aplicação não ficou pronta. Tudo bem, isso não importou tanto, já que, de certa forma, todos nós já esperávamos por isso. Mas faltou realmente muita coisa pra que ela ficasse pronta. Espero que ela seja terminada e lançada em breve.

Para os designers não foi tão ruim, já que na maioria do tempo o Diego ficou escrevendo HTML (sim, HTML 4) e CSS (claro, sem deixar de exibir toda a frescurite de seu MacBook :P). Já para programadores (ou designers que estavam interessados também na programação, como eu) deve ter sido entediante, já que não foi dada muita atenção à programação.

Os layouts não estavam prontos. E nem sequer planejados. Dessa forma, perdeu-se muito tempo precioso com o Diego tendo que desenhar telas lá na hora, telas essas que ele nem sabia que iria existir.

A aplicação deveria estar inteiramente planejada. No início do dia, perdemos uma boa hora (talvez até mais) pensando a aplicação, enquanto o foco do evento seria a “mão na massa”.
Se a aplicação já tivesse planejada, as telas já poderiam estar todas desenhadas, o que pouparia o tempo do planejamento (que, repito, não era o principal interesse de quem estava ali) e do desenho das telas. Dessa forma, ao invés de começar pensando a aplicação, o evento poderia começar apenas explicando-a.

O local era ótimo, mas acho que a “manobra” feita pra colocar mais gente no evento foi mais negativa do que positiva. Se o evento tivesse sido mesmo na Visie, além de economizar boa parte do tempo gasto com a instalação da infra-estrutura pra transmissão on-line, o horário poderia ter sido estendido um pouco mais, já que aplicação terminou crua. A menos que na Visie não houvesse como transmitir on-line, acho que não valeu a pena transferir o evento pra um local maior. Eu teria ficado até 21h pra ver tudo pronto. :)

Pontos positivos

A dica que “valeu o dia”, segundo as palavras do próprio Élcio, foi o Subversion. Já tinha lido vagamente sobre ele por aí mas nunca animei testar pra ver como funciona. O interessante é que, na quarta-feira em meu serviço, eu gastei o dia de trabalho fazendo um retrabalho por causa de um programador .NET (sempre eles) que substituiu uns arquivos que eu já havia modificado pelos arquivos antigos. Ah, se eu conhecesse o Subversion antes…

No que diz respeito a códigos, não tirei muito proveito, já que muito do que sei aprendi com eles mesmo. Até dei alguns palpites no código e recebi um “pedido informal de currículo” (até que seria uma boa idéia…). :P

Além disso, foi bom poder bater um papo com a Simone, pela sua simpatia e experiência em projetos on-line dos mais diversos e saber que, ao contrário do que eu pensava, não sou só eu que não me dou muito bem com programadores .NET. :P Saber um pouco do que ela pensa sobre desenvolvimento e o mercado atual da internet foi enriquecedor.

Fazendo um balanço final…

Como o Élcio fez questão de dizer, essa foi só a primeira edição de um evento que segue um roteiro totalmente diferente do que já se viu por aí. Dessa forma, é natural e até compreensível que tenha havido muitos erros. Desde que, é claro, nas próximas edições eles sejam corrigidos. ;)

Ficam aí então as minhas sugestões para o próximo CodeShow:

  • Ter a aplicação toda planejada e desenhada, cabendo só uma explanação sobre ela no início do evento;
  • Ter os horários definidos para cada etapa do desenvolvimento.
  • Pensar num work-around caso a aplicação não fique pronta. Nem que seja a disponibilização de vídeos do resto do desenvolvimento.
  • Coffee break. :) Afinal de contas, também estamos lá pra conhecer-mos uns aos outros.

Claro, não posso esquecer de dizer que durante o evento também foi lançado o CodeShow Vídeos, o YouTube dos desenvolvedores web.

Observação importante: O Mac do Diego travou. Duas vezes. :P

About these ads

9 Comentários

Arquivado em CodeShow, Comunidade, Cursos, Estudos, Pessoal

9 Respostas para “Como foi o CodeShow

  1. É, e eu tbm não falei sobre o evento em meu blog…

    Concordo com você em suas colocações.
    Ficaria até altas horas pra ver algo mais completinho.

    Estava lá um pouco interessado no Illustrator e no Python, mas bem, acho que ainda continuarei com PHP, fazendo o Slice com o Fireworks sucks mesmo. =[

    Sobre o local do evento, é que você não sabe cara, mas eu moro a menos de 2Kms da Visie!! Então imagina! hehe. Mas São Paulo é tranquilo de andar e eu conhecia o local do evento.

    No geral eu curti, espero que os próximos sejam melhores.

    Ah, estavamos pertos mesmo, sou timido, sorry. =D
    Haha.

  2. Interessante a proposta do evento! Resta torcer para que na próxima vez a execução seja tão interessante quanto a proposta! Se eu morasse em São Paulo gostaria de ter ido… Abraço

  3. Ei… e mesmo uma semana depois você postou sobre o CodeShow! Vou catar minhas anotações aqui correndo!
    Obrigada pela companhia e pela citação aqui.
    8:*

  4. Pingback: pixeladas aleatórias ∙∙∙∙ Visie: Code Show

  5. Apesar de tudo o code show foi muito interessante, mas concordo com a questão de terem dado mais foco ao html e CSS, eu como programador estava mais interessado na programação =]

    []’s

  6. Opa,

    Pois é, vc e a Simone já postaram sobre o evento, e eu, até hoje nada… shame on me :(

    Compartilho com vc boa parte do que disse, subversion é mto bom, quando agente consegue usar em um servidor externo… perdemos mesmo mto tempo discutindo o que fazer, e eu colaborei com isso, shame on me again… e eu nao entendi lhufas do python… mas tudo bem… tava dando sono depois do almoço ouvir falar de python…

    Ah, meu post sobre o evento? rabiscado está… quem sabe depois do feriado, no novo blog, com novo endereço e tudo mais?

    Ah, valeu o link…

  7. Pingback: Blog da Visie.com.br » Blog Archive » Lições do CodeShow

  8. Eu ia nesse evento, mas acabei desistindo por falta de tempo ($). Mas eu tinha grandes expectativas sobre ele, mas pelo que li aqui eno blog da Simone, acho que iria me decepcionar. E o pessoal da Visie fez tanto barulho sobre o evento que eu pensei que fosase ser “o evento”, mas pelo jeito foi mais barulho deles mesmo.

    Valeu pelo texto!

    Um abraço!